AWS Well-Architected Framework projetado para excelência operacional

A Amazon AWS atualizou o AWS Well-Architected Framework (PDF) com base no feedback de clientes, adicionando um novo pilar, a “excelência operacional”.

AWS Well-Architected Framework

O que é o AWS Well-Architected Framework?

O AWS Well-Architected Framework contempla um conjunto de práticas recomendadas para a construção e operação de sistemas seguros, eficientes e rentáveis na nuvem. As diretrizes de arquitetura foram elaboradas pela Amazon por clientes da Amazon Web Services, mas são úteis e aplicáveis também para qualquer plataforma na nuvem. Permite que clientes e parceiros revisem suas arquiteturas usando uma abordagem consistente e fornece orientações para melhorar os projetos ao longo do tempo.

O framework foi publicado pela primeira vez há um ano e agora foi atualizado, incluindo o feedback dos clientes e as lições aprendidas com ele. Para aqueles que não estão familiarizados com o framework, a InfoQ publicou um artigo na época com os principais pontos. Neste post, são mencionadas apenas algumas das mudanças notáveis introduzidas na versão deste ano.

Pilares do AWS Well-Architected Framework

Além dos quatro pilares originais – Segurança, Confiabilidade, Eficiência e Otimização de Custos – a equipe de arquitetos da AWS introduziu mais um: Excelência Operacional, que representa a “capacidade de executar e monitorar sistemas para entregar valor de negócio e melhorar continuamente processos de suporte e procedimentos“.

Os 5 pilares:

  • Segurança: proteger informações e sistemas com confidencialidade e integridade de dados, identificação e gerenciamento de quem pode fazer o quê com o gerenciamento de privilégios, proteção de sistemas e estabelecimento de controles para detectar eventos de segurança. Whitepaper Pilar de Segurança.
  • Confiabilidade: evitar falhas e recuperar rapidamente cargas de trabalho para atender as demandas do negócio. Whitepaper Pilar de Confiabilidade.
  • Eficiência: usar recursos de computação com eficiência para atender aos requisitos do sistema e manter essa eficiência conforme a demanda e evolução tecnológica. Whitepaper Pilar de Eficiência.
  • Otimização de Custos: evitar gastos desnecessários incluindo compreensão e controle dos gastos para atender às necessidades do negócio sem gastar excessivamente. Whitepaper Pilar de otimização de custos.
  • Excelência Operacional: executar cargas de trabalho de maneira eficaz, obter insights sobre suas operações e melhorar continuamente os processos e procedimentos de suporte para agregar valor aos negócios. Whitepaper do Pilar de Excelência Operacional.

Melhores práticas para garantir a excelência operacional

As melhores práticas recomendadas para garantir a excelência operacional das cargas de trabalho de produção são:

  • Execução de operações com código: automatizar operações tanto quanto possível.
  • Alinhar os processos operacionais aos objetivos de negócio: coletar apenas as métricas que suportam as necessidades de negócio, respondendo adequadamente a eventos operacionais.
  • Operar mudanças regulares, pequenas e incrementais: as cargas de trabalho devem consistir de componentes que são atualizados regularmente em pequenos passos sem derrubar serviços, e as operações devem ser capazes de reverter essas alterações, se necessário.
  • Testar as respostas a eventos inesperados: injetar falhas no sistema para ver como ele reage a eventos operacionais inesperados. Desenvolver procedimentos claros para reagir a tais eventos.
  • Aprender com eventos e falhas operacionais: monitorar e analisar como um sistema se comporta durante vários eventos operacionais para aprimorá-lo.
  • Manter procedimentos operacionais atualizados: atualizar procedimentos e diretrizes para refletir com precisão o sistema atual à medida que ele evolui ao longo do tempo.

Princípios de design para criar sistemas na nuvem

O AWS Well-Architected Framework vem com uma série de princípios de design destinados a criar bons sistemas na nuvem:

  • Pare de adivinhar suas necessidades de capacidade: use sempre as capacidades de escalabilidade da nuvem, em vez de adivinhar as necessidades de capacidade e correr o risco de fornecer a capacidade inadequada.
  • Teste sistemas em escala de produção: dimensione o sistema para como seria em produção e teste para ver como ele funciona no ambiente real. Desative os recursos extras depois de concluir o teste.
  • Automatize para tornar a experimentação de arquitetura mais fácil: automatize todo o processo de criação de um sistema, permitindo que seja replicado facilmente. Além disso, é simples retornar a uma configuração anterior dessa forma.
  • Permita arquiteturas evolutivas: a automação permite que os arquitetos evoluam os sistemas conforme a necessidade, testando e configurando facilmente novas configurações.
  • Arquiteturas baseadas em dados: colete dados operacionais necessários que podem ser usados para avaliar como as mudanças arquitetônicas afetam as cargas de trabalho. Os dados também podem ser usados para ajustar o código de automação.
  • Melhoria por injeção de falhas: injete falhas para simular eventos operacionais em produção e entender como o sistema se comporta quando os mesmos ocorrem; corrija-os, se necessário.

O framework também inclui perguntas e respostas para todos os cinco pilares em que é construído, fornecendo orientação sobre como abordar questões práticas, como proteção contra o uso não autorizado da conta raiz da AWS, planejamento da topologia de rede, resposta a eventos operacionais não planejados e muitos outros.

Fonte: InfoQ

Gostou do conteúdo? Tem alguma dúvida? Entre em contato com nossos Especialistas Mandic Cloud, ficamos felizes em ajudá-lo.

Serviços Profissionais em Cloud